8,173 notes △▽ compartilhe

Muitos sabem que Adolf Hitler tinha uma relação muito forte com sua mãe. Mas o primeiro amor dele, de fato, foi Stefanie (ou Stephanie) Isak, uma jovem loira e alta que vivia no mesmo subúrbio de Linz. O sobrenome dela indicava que fosse judia, mas isso não o incomodava. O menino apaixonado de 17 anos dedicou a ela uma série de poemas românticos e, na companhia de seu melhor amigo, Gustl Kubizek, ficava todos os dias esperando Stefanie passar na rua, que infelizmente estava sempre sob o olhar atento da mãe. Hitler confessou a Gustl que, para fugir com ela, seria capaz de sequestrá-la. E como a moça o ignorava, Adolf planejou suicídio nas águas do rio Danúbio, levando-a consigo. Stefanie, que possivelmente nunca conversou com Hitler, acabou se casando com um soldado, o tenente Jasten.

O primeiro amor de Hitler foi uma judia. 

(via aprendizdepoeta)
21,945 notes △▽ compartilhe
Solidão não se cura com o amor dos outros. Se cura com amor próprio.
Martha Medeiros    (via cultiveis)
286 notes △▽ compartilhe
Amor não resiste a tudo, não. Amor é jardim. Amor enche de erva daninha. Amizade também, todas as formas de amor.
92 notes △▽ compartilhe

“não consigo imaginar as pessoas.
talvez elas também estejam se sentindo mal,
quase tão mal quanto eu.
pergunto-me o que elas fazem quando se sentem
assim?
provavelmente não o mencionam.
dizem apenas,
‘veja, está chovendo’.
assim é melhor mesmo ”

charles bukowski

199 notes △▽ compartilhe
Talvez eu deva ser forte,
pedir ao mar
por mais sorte
e aprender a navegar.
Mallu Magalhães.
1,477 notes △▽ compartilhe
Por que o ser humano
prefere ser uma pessoa vazia
ao invés de querer transbordar
sentimentos?
Prestigiador